O que é agricultura de precisão? Saiba como funciona e suas vantagens

A agricultura de precisão é uma forma de gerenciar as lavouras de maneira mais eficiente, levando em conta as variações do solo, do clima e das plantas, por exemplo. Com o uso de diferentes tipos de tecnologias, é possível coletar e analisar dados sobre as condições da produção agrícola e, assim, tomar decisões mais acertadas sobre a propriedade.

Essa abordagem permite que o produtor otimize o uso dos recursos disponíveis, reduza os custos, aumente a produtividade e a qualidade dos produtos, além de minimizar os impactos ambientais envolvidos. Por essas e outras razões, a agricultura de precisão é considerada uma das principais tendências no agronegócio, por aliar inovação, sustentabilidade e rentabilidade.

Mas, afinal, como funciona essa modalidade na prática? Quais são as vantagens dessa medida para o produtor? Quais são as ferramentas utilizadas nesse tipo de conduta? E qual é a diferença entre a agricultura convencional e a agricultura de precisão? Neste artigo, vamos responder a essas e outras perguntas. Acompanhe!

O que é agricultura de precisão?

A agricultura de precisão é uma forma de gerir a produção agrícola com base em dados georreferenciados que permitem otimizar o uso de insumos. A ideia é que cada parte da lavoura receba o tratamento adequado às suas necessidades específicas, evitando desperdício e maximizando os resultados.

Para isso, são utilizados diferentes tipos de tecnologia no agro, que contribuem para a coleta e a análise de dados sobre as condições da produção agrícola em tempo real. Esses dados fornecem informações valiosas para o produtor, que passa a tomar decisões mais acertadas sobre o manejo, a adubação, a irrigação e o controle de pragas e doenças, por exemplo.

A agricultura de precisão também possibilita:

  • monitorar a lavoura à distância;
  • identificar problemas com antecedência; e
  • realizar intervenções pontuais e personalizadas.

É, portanto, uma forma de promover a conectividade rural e utilizar a tecnologia a favor dessa atividade tão relevante, que acompanha o ser humano desde os primórdios.

Como funciona a agricultura de precisão?

Agora que você já sabe o que é agricultura de precisão, está na hora de entender que ela funciona em quatro etapas principais: coleta de dados, análise de dados, tomada de decisão e aplicação das decisões.

Quer saber mais sobre como cada uma delas funciona? Então, continue acompanhando!

Coleta de dados

A etapa inicial serve para reunir todos os dados possíveis sobre a área de produção. Para isso, são utilizados sensores instalados no solo, nas plantas ou nos equipamentos agrícolas, que captam informações sobre as mais variadas condições da lavoura, como:

  • umidade;
  • temperatura;
  • pH do solo;
  • nutrientes;
  • pragas e doenças.

Também é possível utilizar drones equipados com câmeras ou sensores especiais, que sobrevoam a área e fazem imagens em alta resolução ou em diferentes espectros de luz. Em outros casos, a coleta de dados ainda é complementada com os chamados sistemas de posicionamento global — o GPS —, que permitem localizar com precisão cada ponto da lavoura.

Análise de dados

Após coletar todos os dados viáveis sobre a propriedade e a área de produção, esses inputs são enviados para um software ou uma plataforma online, que realiza o processamento e a avaliação mais aprofundada das informações.

O software gera mapas digitais da lavoura, indicando as variações do solo e das plantas, por exemplo. Além disso, ele utiliza algoritmos ou inteligência artificial para identificar padrões, tendências ou anomalias nos dados, melhorando a capacidade de previsão do agricultor.

Tomada de decisão

A partir da coleta de dados sobre a lavoura e da transformação desses insumos em informação relevante para o produtor, é chegada a hora de usar tudo isso para aprimorar o processo decisório da propriedade. À medida que o produtor vai ganhando previsibilidade sobre as suas culturas, é perfeitamente possível se antecipar aos problemas e evitar várias dores de cabeça.

Por exemplo, ele pode decidir qual tipo e quantidade de adubo aplicar em cada parte da lavoura, qual é a melhor época e frequência para irrigar ou qual é o melhor método para controlar pragas e doenças. Tudo isso de acordo com as necessidades específicas de cada cultura ou de cada área de produção.

Aplicação das decisões

Por fim, é chegada a hora de colocar em prática todas as decisões tomadas na etapa anterior. Inclusive, essa fase também é otimizada por meio do uso de inovações tecnológicas no agronegócio, levando a agricultura de precisão a outro nível.

Para isso, o produtor conta com equipamentos agrícolas automatizados ou controlados por GPS, que realizam as operações de forma precisa e uniforme. Por exemplo, um trator que aplica o adubo na dose e no local exatos, ou um drone que pulveriza o defensivo agrícola apenas nas áreas afetadas.

Por que o produtor deve investir na agricultura de precisão?

Continua em dúvida sobre por que o produtor rural deve investir na agricultura de precisão? Podemos adiantar que ela gera diversos benefícios. Mas se você quiser checar cada um deles, continue a leitura!

Otimização dos recursos

A agricultura de precisão permite que o produtor use os recursos de forma mais racional, evitando desperdícios e excessos. Ao aplicar o adubo na dose e no local adequados, por exemplo, ele evita a perda de nutrientes ou mesmo a contaminação do solo e da água. Também é possível irrigar a lavoura apenas quando necessário, economizando água e energia.

Redução dos custos

Outra grande vantagem é a redução dos custos da produção agrícola. Se o produtor gasta menos com insumos, mão de obra e manutenção, ele economiza dinheiro. Identificando as necessidades pontuais de cada parte da lavoura e automatizando o seu suprimento, diminui-se o consumo de defensivos agrícolas, água, fertilizantes e, até mesmo, o desgaste dos equipamentos.

Ganho de produtividade

A agricultura de precisão otimiza vários aspectos da plantação, promovendo a melhoria nas condições do solo e das plantas — o que afeta diretamente a produtividade das lavouras.

Portanto, ao aumentar a fertilidade do solo, corrigem-se as deficiências ou os desequilíbrios de nutrientes, melhorando os resultados gerais de cada safra, os ganhos do produtor e, até mesmo, do ecossistema.

Aumento da qualidade

Se, por um lado, falamos de ganhos para o produtor e para a lavoura, por outro, podemos mencionar o ganho expressivo de qualidade dos produtos agrícolas que serão comercializados para o consumidor final.

A correção de alguns pontos fundamentais na agricultura reflete na padronização e na melhoria das características dos alimentos, melhorando também a satisfação do público-final.

Minimização dos impactos ambientais

Por fim, precisamos mencionar a redução dos impactos ambientais gerados pela produção agrícola. Uma smart farming reduz a emissão de gases de efeito estufa por meio da redução do consumo de combustível dos equipamentos agrícolas, bem como a poluição do solo e da água ao evitar o uso excessivo ou inadequado de adubos e defensivos agrícolas.

Aumento da competitividade

Investir na agricultura de precisão é uma forma de aumentar a competitividade do seu negócio no mercado agrícola, porque, como você viu, ela permite oferecer produtos com maior qualidade, produtividade e rentabilidade.

Esse tipo de agricultura também diferencia o seu produto dos concorrentes, agregando valor e demonstrando preocupação com o meio ambiente e com a segurança alimentar.

Acesso a novos mercados

Apostar na precisão na agricultura também pode abrir novas oportunidades de mercado para os produtos agrícolas. Ao atender aos requisitos mais exigentes e conscientes, um leque de novos compradores começa a surgir. Além disso, o produtor ainda pode ter acesso a mercados internacionais, especialmente se cumprir com as normas e certificações envolvidas neles.

Aproveitamento de novas áreas

Outro benefício é a possibilidade de aproveitar novas áreas para a produção agrícola, como locais degradados, marginais ou de difícil acesso. A agricultura de precisão pode tornar esses setores mais produtivos e rentáveis, adequando o manejo das culturas às condições específicas de cada um, bem como recuperar e preservar a qualidade do solo e da água nesses espaços.

Quais são as principais ferramentas desse tipo de agricultura?

Entender como funciona a agricultura de precisão também exige conhecimento sobre as ferramentas que viabilizam essa prática. Então, que tal conhecer algumas das principais soluções que fazem parte dessa metodologia e como elas beneficiam os produtores rurais?

[INFOGRÁFICO SERÁ PRODUZIDO E INSERIDO AQUI]

Como você pode ver, as ferramentas da agricultura de precisão são capazes de tornar o trabalho no campo mais eficiente, rentável e sustentável. Elas facilitam o dia a dia do produtor, sem perder de vista as necessidades reais da lavoura.

Agricultura convencional x agricultura de precisão: qual é a diferença?

Para identificar melhor as diferenças entre a agricultura convencional e a de precisão, é preciso entender que a convencional é baseada em uma abordagem uniforme e padronizada para o manejo das culturas. Ela não leva tanto em conta as diferenças e as variações que existem dentro de uma mesma propriedade ou talhão, já que isso se torna muito trabalhoso para o produtor.

Na prática, isso significa que os insumos agrícolas são aplicados de forma igual para todas as plantas, independentemente das suas características ou demandas. Se uma cultura apresenta uma praga, todo o cultivar recebe a aplicação de defensivos, demandando uma quantidade maior do insumo e, é claro, de mão de obra.

Essa prática gera diversos problemas, como o uso excessivo ou insuficiente de fertilizantes, defensivos, água etc., que comprometem a qualidade e a quantidade dos produtos. Além disso, ainda causa impactos negativos ao meio ambiente, como a contaminação do solo e da água, a erosão e a perda de biodiversidade, entre outros.

Já a agricultura de precisão propõe uma tratativa diferenciada e individualizada para o gerenciamento das culturas, considerando as particularidades de cada área ou planta. Isso significa que os insumos agrícolas são aplicados de forma adequada e precisa para cada situação, respeitando as exigências e as potencialidades de cada cultivar e de acordo com os objetivos da ASG.

Como a agricultura de precisão ajuda na sustentabilidade?

Sustentabilidade é um conceito usado para se referir à capacidade de atender às necessidades do presente, sem comprometer as possibilidades das gerações futuras. No contexto da agricultura, isso significa produzir alimentos suficientes e saudáveis para a população atual e futura, sem causar danos irreversíveis aos recursos naturais.

Nesse sentido, a agricultura de precisão pode ser uma grande aliada da sustentabilidade, porque permite:

  • reduzir o consumo de água na irrigação, evitando o desperdício e a escassez desse recurso vital;
  • diminuir o uso de fertilizantes e defensivos químicos na adubação e no controle de pragas e doenças, minimizando a contaminação do solo e da água e a perda de fertilidade;
  • mitigar as emissões de gases de efeito estufa na mecanização agrícola, contribuindo para o combate às mudanças climáticas;
  • aumentar a eficiência produtiva das culturas, garantindo a segurança alimentar e a geração de renda para os produtores;
  • promover a conservação da biodiversidade e dos ecossistemas naturais, mantendo os serviços ambientais essenciais para a vida.

Então, como você conferiu ao longo deste conteúdo, a agricultura de precisão contribui não só para a sustentabilidade, mas ajuda a monitorar as condições do solo e das plantas, identificar pragas e doenças, e aplicar tratamentos específicos para cada área, melhorando a qualidade e a rentabilidade dos produtos agrícolas.

Você já deve ter percebido que esse tipo de agricultura não é apenas uma tendência, mas uma realidade que pode perdurar por um bom tempo em prol do uso saudável da terra. Consequentemente, isso vem transformando o setor agrícola, trazendo benefícios econômicos, sociais e ambientais.

Para aproveitar as oportunidades da agricultura de precisão, é importante que os produtores se atualizem e se adaptem a essa nova forma de produzir, investindo em capacitação e em tecnologia verde. Além disso, criar uma infraestrutura que comporte esses recursos é um diferencial. O mesmo vale para o estabelecimento de parcerias estratégicas com empresas e instituições especializadas em precisão.

Assim, os agricultores e os agropecuaristas poderão melhorar seus resultados, além de contribuir para o desenvolvimento sustentável de toda a cadeia do agronegócio brasileiro. Isso beneficia quem trabalha no campo, quem desenvolve novas tecnologias, quem protege o meio ambiente e, é claro, quem consome os produtos agrícolas.

Você gostou do que viu por aqui sobre agricultura de precisão? Então, aproveite e leia outros conteúdos no nosso blog!

Quer receber nossas novidades e conteúdos?

Cadastre-se e receba por e-mail em primeira mão.

E-mail cadastrado com sucesso
Ops! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, verifique se o captcha está correto.

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.