dia do pecuarista

Dia do Pecuarista: confira as principais tendências do setor

Alimentação, genética, exigências sanitárias, reprodução e bem-estar animal. Cuidar de um rebanho pode ser mesmo uma atividade desafiadora. No entanto, para o produtor de animais, todas essas responsabilidades são cumpridas com prazer e maestria. E é justamente para valorizar esse profissional que se comemora o Dia do Pecuarista.

Então, para prestarmos a nossa homenagem, queremos convidar você a descobrir mais sobre essa data tão importante e entender quais são as principais tendências que podem ser esperadas para a pecuária de corte e de leite. Vamos lá?

O que é o Dia do Pecuarista?

Anualmente, no dia 15 de julho, é comemorado o Dia do Pecuarista. Esse é o profissional responsável pela criação e desenvolvimento dos rebanhos, seja para otimizar sua produção de carne ou mesmo de leite. A atividade impulsiona a economia nacional e, por isso, precisa ser destacada e valorizada.

A data é legalmente instituída pela Lei 11.716/2008, justamente para enfatizar a importância desse trabalho de destaque não apenas no mercado nacional, mas também no cenário mundial da pecuária.

O Brasil conta com um dos territórios mais vastos e propícios à criação de bovinos, que além de rentáveis, agora contam com um modelo de pecuária mais sustentável.

As cadeias produtivas brasileiras estão sendo reestruturadas para corresponder a modelos mais sustentáveis de produção. E os pecuaristas, atentos às necessidades mundiais, estão se adequando a isso, tornando os resultados com a atividade ainda mais expressivos dentro e fora das fronteiras do país.

Qual é o panorama da pecuária no Brasil?

De acordo com a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) do IBGE, o rebanho bovino brasileiro, em 2020, contava com mais de 218 milhões de cabeças. Além disso, confira outros números que refletem a importância do setor:

  • de janeiro a junho de 2022, foram faturados mais de US$ 6,2 bilhões com a carne bovina;
  • de acordo com o Cepea, cerca de 6 milhões de empregos são gerados nessa área;
  • a exportação de carne bovina cresceu 52% no primeiro semestre de 2022, em comparação com o mesmo período de 2021;
  • na primeira meta de 2022, a carne bovina foi exportada para 132 países;
  • e o Brasil é, hoje, o segundo o segundo maior produtor mundial, superado apenas pelos Estados Unidos.

Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, os principais estados produtores em nosso país são:

  • Mato Grosso;
  • Minas Gerais;
  • Goiás;
  • Mato Grosso do Sul;
  • Pará.

Entre as raças mais produzidas em território nacional estão as zebuínas, as taurinas e as asiáticas, cruciais para a potente produção de carne e de leite. Para o corte, as raças mais procuradas estão distribuídas assim:

  • zebuínas — nelore, brahman, guzerá, tabapuã;
  • taurinas — aberdeen-angus, braford e hereford, brangus;
  • asiáticas — wagyu.

Já para leite, são usadas a gir leiteiro e a girolando, além das tradicionais jersey e holandesa.

A Covid-19 também foi um fator de grande impacto para a pecuária. Questões como a sanidade animal e a vigilância em relação às doenças devem ficar cada vez mais rigorosas, tanto para controlar o impacto aos animais quanto aos seres humanos. Portanto, quem leva a sério a segurança nos seus processos produtivos poderá aproveitar uma maré favorável nos próximos anos.

Como a tecnologia influencia a pecuária?

A tecnologia está intimamente relacionada à atividade pecuária, derrubando barreiras entre as soluções aplicáveis nas cidades e no campo, além de levar o produto e a qualidade da fazenda para outras fronteiras, em especial no caso de exportação.

Esse recurso é um dos grandes responsáveis pela geração de dados confiáveis e importantes para decisões mais estratégicas e competitivas por parte do produtor. Sabendo tudo o que está acontecendo com o seu rebanho, ele tem melhores condições de decidir o que é prioridade na hora de investir.

Além disso, evitam-se gastos desnecessários com medicamentos, suplementação ou procedimentos que não sejam necessários para todos os animais, mas só para alguns. A tecnologia torna o trabalho do pecuarista muito mais fácil e inteligente, valorizando e otimizando o seu tempo.

Quais são as principais tendências da pecuária?

As tendências para pecuária envolvem a melhoria na gestão das fazendas, principalmente por meio da digitalização e modernização dos processos, além da adoção de sistemas de produção mais eficientes. Em função disso, é possível esperar mudanças relevantes, como as que você verá a seguir.

Mais carne em uma área menor

Daqui para frente, é possível esperar um grande aumento de desempenho quanto à produtividade pecuária. Os ajustes promovidos pela tecnologia e pelos novos métodos de produção deverão resultar em mais quantidade de carne de qualidade em áreas menores.

O objetivo é mesclar a criação dos animais com atividades como a agricultura e a silvicultura. Esse é um sistema produtivo considerado mais sustentável e, ao mesmo tempo, com um maior potencial de aproveitamento da genética animal.

Maior eficiência

Podemos esperar também uma pecuária mais técnica, profissional e muito mais competitiva. Os trabalhadores desse segmento estão se qualificando cada vez mais, aprofundando seus conhecimentos e domínios tanto na genética animal quanto na produção de alimentos e rações de alta performance para os rebanhos.

Com isso, o aproveitamento de cada bovino cresce significativamente, tornando as fazendas mais eficientes e com menos esforços. Essa última parte se deve especialmente às facilidades incorporadas pelo rastreamento e monitoramento tecnológico, capaz de fornecer dados ágeis e atualizados sobre os rebanhos.

Competitividade da cadeia produtiva

Com tantas melhorias, é indicado que os pecuaristas se preparem para um mercado altamente competitivo. Se cada fazenda conseguir alcançar o seu potencial, produzindo ao máximo, com alta qualidade e custos controlados, ganhar a preferência do cliente vai ser mais difícil.

Inclusive, o bem-estar animal e a sustentabilidade do negócio serão aspectos de extrema relevância nesse novo cenário. A carne boa deve ser produto de uma cadeia produtiva limpa, responsável e segura para todos os consumidores.

Ficar de olho nas tendências para a bovinocultura de corte e de leite é o que vai orientar o pecuarista por uma estrada ainda desbravada. Acompanhar as tendências tecnológicas e os novos métodos de produção é também uma forma de valorizar os esforços e os avanços conquistados rotineiramente no campo, em parceria com quem entende do assunto.

E, como você deve ter percebido, a pecuária é uma atividade que não para. Com uma demanda que só cresce no Brasil e no mundo, você pode acompanhar todas as novidades de perto para estar sempre entre os melhores produtores da sua região.

Inclusive, se você quer aproveitar o Dia do Pecuarista para aprender mais e qualificar a sua atividade, está na hora de conhecer as opções agropecuárias que auxiliam a gestão financeira do seu negócio!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.