custo de produção agrícola

Qual a importância do custo de produção agrícola?

O setor de agricultura no Brasil apresenta altos índices de produtividade: de acordo com dados do Instituto Econômico de Pesquisa Aplicada (IPEA), a Produtividade Total de Fatores (PTF) do país cresceu 400% entre 1975 e 2020. E você faz parte dessa conquista! Porém, ainda são muitos os desafios que devem ser superados para o desempenho de excelência em uma propriedade.

Você já parou para pensar nos principais fatores que compõem o custo de produção agrícola? Infelizmente, alguns produtores negligenciam essa etapa ou, simplesmente, não têm o conhecimento necessário para fazer um bom levantamento. Por isso, acabam tendo prejuízos, já que não sabem qual será o lucro efetivo ao final do processo.

Aqui, no Broto, não queremos que você faça parte desse grupo. Então, para ajudar nessa missão, vamos explicar quais são os elementos essenciais para esse cálculo. Siga a leitura e confira.

O que é custo de produção agrícola?

Custo de produção agrícola é um parâmetro econômico que visa demonstrar os rendimentos de determinada atividade rural, ou seja, é um levantamento que informa a relação entre as despesas e as receitas associadas à propriedade.

A partir desse cálculo, você consegue ter uma visão ampla sobre a saúde financeira do negócio e, consequentemente, planejar com mais eficiência a comercialização da produção e os investimentos.

Ao contrário do que se possa imaginar, a tarefa de encontrar esse resultado não é tão simples. O custo total de uma produção agrícola envolve diferentes categorias de passivos financeiros que, quando não gerenciados corretamente, podem levar a decisões equivocadas.

Os fatores que compõem esses custos variam de uma propriedade para outra, conforme o tipo de cultura e demais características do negócio. Porém, de modo geral, eles são divididos em custos fixos e custos variáveis.

Os custos fixos compreendem as despesas com:

  • manutenção;
  • funcionários;
  • juros de financiamento;
  • almoxarifado.

Além disso, eles impactam as decisões de médio e longo prazos.

Já os custos variáveis são aqueles que se modificam de acordo com o volume da produção agrícola, como sementes, fertilizantes, armazenagem, transporte e operações.

Em outras palavras, os custos variáveis consistem em gastos que só ocorrem se houver atividade, ou seja, se algo for cultivado mesmo na sua lavoura. Sem falar que esses aspectos interferem no desempenho e nas escolhas de curto prazo.

Quais são as diferenças entre gasto, custo e despesa?

Entender esses conceitos faz parte do processo de conhecer, classificar e calcular os custos de produção.

Gasto

Gasto tem significado mais abrangente: são todos os bens e serviços que uma empresa adquire em qualquer momento das suas atividades. A premissa básica é: teve saída de caixa? É um gasto. Depois disso é que vêm as classificações entre custos e despesas. Vamos ver a definição de cada um!

Custo

O custo, de modo geral, é o gasto que traz retorno financeiro e está relacionado com a atividade-fim do negócio, aquela para qual a empresa foi criada e que consta no seu contrato social (na cláusula do objeto).

No caso da agricultura, os custos estão relacionados indireta ou diretamente à cultura, podendo incluir a compra de sementes, adubos, defensivos, combustíveis, mão de obra etc.

Despesa

A despesa, por outro lado, é o gasto com as atividades-meio, aquelas que fazem parte da rotina da empresa, mas não estão relacionadas diretamente ao objeto dela.

Assim, não geram retorno financeiro. Apenas garantem a funcionalidade do ambiente empresarial. São exemplos os gastos com propaganda, material de escritório, comissão de vendedores, entre outros.

Quais são os tipos de custos de produção agrícola?

Falando do dia a dia do ramo agrícola, os principais tipos de custos envolvidos e que devem servir como base para o seu cálculo são:

  • mão de obra: envolve o salário e todos os pagamentos relativos aos funcionários que compõem a força de trabalho, como benefícios, encargos sociais e direitos trabalhistas;
  • sementes: para exemplificar a relevância desse custo, ele pode chegar a 40% do custo total para um hectare de milho;
  • fertilizantes e defensivos: avaliar o custo por hectare evita compras excessivas ou insuficientes, além de garantir a boa manutenção do estoque;
  • maquinário: gastos com combustível, depreciação, manutenção e insumos — como óleos e peças — entram na contabilização dos custos com maquinário;
  • custos diversos: aqueles que não se enquadram nas categorias acima, mas precisam ser contabilizados, já que também são compreendidos como gastos de produção. Incluem água, energia, fretes de compras de insumos etc.

Considerar todos os gastos é imprescindível para que você tenha uma espécie de fotografia da sua realidade econômica em um determinado momento.

Qual é a importância do custo de produção agrícola?

Conhecer o custo de produção agrícola é uma competência fundamental para obter um melhor controle sobre as finanças do seu negócio e tomar decisões bem embasadas. E isso tudo faz parte de uma gestão agrícola bem acertada.

De posse dessas informações, é possível planejar toda a safra de maneira coerente com a realidade do mercado, identificando os principais gargalos e traçando as estratégias ideais para manter uma boa competitividade.

Uma propriedade rural que consegue alinhar suas atividades com uma margem de lucro satisfatória tem muito mais chances de crescimento e de se manter entre os líderes do mercado. Isso vale tanto para os grandes latifúndios quanto para terras de menor extensão.

A importância do uso de tecnologias de gestão

Nesse contexto, essa parte de gestão fica cada vez mais simples de realizar e precisa com relação aos dados colhidos, pois a gestão do agronegócio vem gradualmente se tornando mais profissional e apoiada nas inovações tecnológicas.

Por questões de economia de tempo (que também envolve custo de oportunidade, sobre o qual falaremos mais adiante), vale a pena aproveitar os benefícios de um software de gestão agrícola. Essa tecnologia trará informações confiáveis para o cálculo do custo de produção, reduzindo a margem de erros.

Assim, você, enquanto produtor rural, encontra essa e outras soluções automatizadas para otimizar o gerenciamento da sua fazenda, inclusive o histórico financeiro. Assim, fica mais fácil calcular os custos de cada safra.

Como calcular o custo de produção agrícola do seu negócio?

Independentemente do tipo de cultivo escolhido, o cálculo do custo de produção agrícola é feito a partir dos seguintes métodos.

Custo Operacional Efetivo (COE)

Custo Operacional Efetivo é um cálculo que leva em consideração os custos variáveis que o produtor tem ao longo da safra, desde a análise e preparação do solo para o plantio até a distribuição do produto.

Para encontrar o valor do COE, o caminho é somar todos os gastos diretos com a produção de um ciclo produtivo, tais como insumos utilizados, mão de obra contratada e outros.

Esses valores serão mensurados de forma proporcional à quantidade da produção e do trabalho efetivo. Por isso, leve em conta a quantidade de hectares de plantio e calcule:

  • quantidade de sementes e de fertilizantes adquiridos para o cultivo;
  • gasto de combustível utilizado nas máquinas;
  • despesas com mão de obra etc.

Por representar desembolsos mais palpáveis, ligados à produção agrícola em si, é comum que o produtor rural tenha mais facilidade de compreender e medir o COE. Inclusive, em muitos casos, essa é a única referência usada para conferir os lucros.

Custo Operacional Total (COT)

Custo Operacional Total é dado pela soma dos custos fixos (também conhecidos como custos indiretos ou de estrutura) com o Custo Operacional Efetivo.

Embora pareça simples na teoria, existem muitos custos que não são tão evidentes que tornam o cálculo do COT complexo. É o caso da depreciação do maquinário e da construção ou de melhorias na infraestrutura. E isso independe do volume de produção.

É fácil compreender que, quanto maior for a área de cultivo, mais combustível será empregado até o fim da safra. Por outro lado, o custo com o desgaste dos veículos não é tão simples assim.

Máquinas, implementos, construções e outros bens perdem valor com o tempo e o uso, e é importante estabelecer parâmetros (como o preço de mercado) para obter o valor atualizado, calculando o quanto eles se desvalorizaram no período de análise.

Custo Total (CT)

Já o Custo Total da produção agrícola é a soma do Custo Operacional Total com os custos financeiros — custo de oportunidade do capital e custo de oportunidade da terra.

Custos de oportunidade são os ganhos que o produtor rural deixou de obter ao cultivar suas terras. Por exemplo, o dinheiro investido na atividade (terras e recursos) poderia ser utilizado para outras fontes de renda. Então, a sua escolha deve ser mais rentável do que você obteria de outras formas.

Normalmente, os custos de oportunidade do capital são mensurados pela aplicação dos juros da poupança sobre o capital próprio investido na atividade rural. E o custo de oportunidade da terra, por sua vez, é calculado pelo rendimento do valor da terra na poupança ou pela estimativa do que seria recebido em arrendamento.

Quais são os métodos de cálculo do custo de produção agrícola?

Existem três principais métodos de cálculo para o custo de produção no Brasil, que foram desenvolvidos pelas seguintes instituições:

De toda forma, independentemente do modelo adotado, é fundamental pensar no recorte a utilizar. Geralmente, o custo de produção agrícola é dado em reais, calculado por hectare e por saco produzido. Ele também pode ser convertido em sacos por hectare.

Para realizar o cálculo, é preciso levantar as informações da propriedade rural, quer seja inteira, quer seja setorizada por talhão ou gleba. O total será dividido depois pelos hectares cultivados ou pelo total de sacos produzidos.

O que considerar ao fazer o cálculo?

O cálculo por talhão é mais preciso e ainda traz importantes dados para as decisões técnicas sobre o manejo de cada unidade. Além disso, quando o cálculo se baseia em toda a propriedade, os talhões com maior custo podem ser compensados com aqueles menos custosos na hora de calcular a média total por hectare.

Acontece que esse cálculo é mais trabalhoso tanto para levantar informações quanto para o cálculo em si, que será repetido para cada talhão da propriedade.

Então, principalmente para quem realiza os primeiros cálculos, é interessante usar os dados da área total até que haja domínio do processo. Depois disso, o conhecimento e a experiência trazem mais segurança para realizar o levantamento por setor ou talhão.

Outra dica: use metodologias padronizadas apenas como ponto de partida para seus primeiros cálculos, pois cada propriedade tem características únicas. Por isso, depois de um tempo, será natural que você ajuste o cálculo para a sua realidade.

Como vimos, o custo de produção agrícola é requisito de sobrevivência para você, que opera no campo. Esses cálculos são a base para uma gestão completa e eficaz, que enxerga a propriedade de forma abrangente, sobretudo os detalhes que podem atrapalhar o seu desempenho — e sabemos que são muitos.

Gostou do artigo? Que tal dividir essas informações com outras pessoas? Compartilhe este artigo do Broto nas redes sociais!

Quer receber nossas novidades e conteúdos?

Cadastre-se e receba por e-mail em primeira mão.

E-mail cadastrado com sucesso
Ops! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, verifique se o captcha está correto.

7 Comentários

    Ola! Sou agricultor na região norte de Angola. “Qual a importância do custo de produção agrícola?” esse artig veio no momento certo. Estou a finalizar o meu projecto agrícola para financimento e vosso artigo acabou com muita duvida que eu tinha em relação a esse capítulo.

      Olá, Garcia! Que alegria ler o seu comentário! É muito bom saber que o nosso conteúdo ajudou no seu projeto. Desejamos muito sucesso a você! Grande abraço!

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.