Criação de bovinos: confira 4 dicas valiosas

No Brasil, a criação de bovinos é uma das principais atividades econômicas, sendo responsável por grande parte do PIB (Produto Interno Bruto) do país. Nesse sentido, é uma excelente opção de investimento.

Se você estiver considerando investir nesse tipo atividade, é importante obter conhecimentos para entender o que é criação de bovinos, as diferentes raças, desenvolvimento dos animais, manejo nutricional, entre outros aspectos importantes.

Neste artigo abordaremos as informações mais relevantes para a criação de gado, com dicas essenciais para você ter sucesso em seu negócio. Confira!

Como é realizada a criação de bovinos no Brasil?

A pecuária no Brasil desempenha um papel tão importante no setor que foi até implementado o Dia do Pecuarista para homenagear os empresários da área, mas qual o motivo dessa relevância?

A importância desse mercado se encontra no rebanho expressivo do país. Entre as principais espécies se encontram as raças de corte Nelore, Angus e Brahman, além das raças de leite, como a Guzerá, Holandesa e Gir.

A pecuária também contribui de maneira efetiva para o desenvolvimento econômico do país, gerando empregos e atendendo às demandas internas e externas. Nesse sentido, o Brasil é reconhecido mundialmente como um dos principais produtores e exportadores de proteína de origem animal, aspecto importante para a balança comercial do país.

Agora, você deve estar se perguntando: qual o estado com maior criação de gado bovino? Em primeiro lugar encontra-se o Mato Grosso, seguido do Pará, que fica em segundo lugar.

Embora a pecuária apresente bons resultados a cada ano, ainda se faz necessário o investimento em boas práticas de manejo, bem como a adoção de medidas para diminuir os impactos ambientais.

Quais são formas de criação de bovinos no Brasil

As principais formas de criação de bovinos para corte ou para leite são a extensiva, semi-intensiva e intensiva, conforme comentamos a seguir. Acompanhe.

Extensiva

Essa forma refere-se à criação de gado em grandes pastagens, permitindo que os animais se desenvolvam livremente. Por exigir um baixo investimento, é o sistema mais adotado na pecuária brasileira.

No entanto, o sistema extensivo é um dos mais desafiadores em relação à nutrição dos animais, já que eles ficam se deslocando ao longo das propriedades. Com isso, ingerem diferentes forragens, muitas vezes com baixo valor nutricional, o que exige maior investimento para a reposição de minerais e suplementação alimentar do gado.

Há também a necessidade de um planejamento sustentável para o uso das áreas, já que elas enfrentam uma constante deterioração devido às pastagens. Dessa forma, com estratégias ecológicas e que considerem a saúde e bem-estar dos animais, a criação extensiva tende a ser um sistema mais vantajoso.

Semi-intensiva

A criação de gado no sistema semi-intensivo oferece o melhor dos dois mundos em relação às estratégias extensiva e intensiva. Nele, os animais são criados soltos na maior parte do tempo, porém, também precisam ser confinados para um bom controle nutricional e manejo das demais variáveis relacionadas ao objetivo do produtor.

Quanto ao tamanho da área destinada, ela é menor que a do sistema extensivo e exige um manejo sustentável ainda mais eficiente. Nesse sentido, é sempre bom considerar que o manejo de pastagem pode ser melhorado.

Esse sistema também pode ser aplicado de maneira complementar, conforme o objetivo do pecuarista. Assim, quando há diminuição de pastagem, por exemplo, ele pode ser utilizado para complementar o sistema extensivo para oferecer uma pecuária mais sustentável, até que a área fique equilibrada.

Dessa forma, esse é um sistema muito democrático, que pode ser aplicado conforme a necessidade da área, do rebanho, bem como do produtor.

Intensiva

Já o sistema intensivo conta com espaços menores e controlados. Dessa forma, não comporta áreas com pastagens e utiliza cochos para alimentar os gados de leite e de corte, criados separadamente.

Por ter menos espaço para circulação, esse tipo de sistema requer uma dieta balanceada e respeito aos limites de lotação da área. Esses requisitos se devem a questões sanitárias, a fim de evitar problemas em relação ao bem-estar do animal.

Apesar desses desafios, o método intensivo é o que mais permite ter controle da criação. Isso porque os gados são assistidos de perto pelo produtor, o que auxilia na identificação imediata de eventuais problemas.

Um manejo mais próximo do animal também possibilita ao pecuarista atingir seus objetivos de maneira mais rápida e eficiente, já que é possível alterar algumas variáveis que impactam diretamente os resultados.

Por esses motivos, o sistema intensivo é uma das modalidades de criação de gado que mais utiliza ferramentas tecnológicas, como as adotadas na pecuária 4.0, para reproduzir, alimentar e monitorar os animais.

Quais são as melhores práticas para criação de bovinos?

Como foi possível observar até aqui, são vários os aspectos que precisam ser analisados para ter sucesso na criação de gados. Além dos que já comentamos, selecionamos as melhores práticas que você deve adotar para investir nessa atividade e obter sucesso. Confira!

1. Defina o sistema de criação

O primeiro e fundamental passo é definir o sistema que você vai adotar em sua criação de gado. Nesse momento, é importante considerar que, além das pastagens, existe a possibilidade de optar pelo confinamento ou semiconfinamento.

2. Implemente uma boa infraestrutura

Independentemente do sistema adotado, é fundamental que o gado tenha conforto e qualidade de vida. Por que isso é importante? Porque a qualidade de vida do animal impacta diretamente as características da carne que chega ao consumidor final.

Além disso, todo animal merece o nosso respeito e precisa ser bem tratado — esse é o quesito básico que faz parte de uma atividade sustentável. Respeitar o animal é respeitar a vida!

Nesse sentido, é importante atender o gado em suas necessidades, proporcionando uma vida mais tranquila e saudável por meio de uma boa infraestrutura e nutrição.

Para isso, é fundamental que os animais não sofram com situações que possam causar estresse, medo, fome, sede, doenças, dor ou qualquer desconforto. Mesmo confinados, eles devem ter certa liberdade para expressar seus comportamentos naturais.

Dessa forma, é preciso garantir diariamente:

  • água fresca;
  • sombra;
  • estábulos limpos, com o máximo de higiene possível.

3. Invista em boa nutrição animal

A criação do gado bovino ocorre em diferentes etapas e a nutrição dos animais é um dos pilares para obter sucesso nessa atividade. Esse é um aspecto que merece maior destaque quando trata-se de bovinocultura leiteira, já que impacta diretamente a composição do leite.

O problema é que muitas pastagens podem não oferecer todos os nutrientes necessários para o gado conseguir desenvolver de maneira completa.

Por isso, é muito importante investir na melhoria do solo para garantir uma pastagem vigorosa e rica em nutrientes para o seu gado.

Quer saber quais são os principais componentes de uma boa nutrição? A nutrição é composta por três principais categorias de alimentos:

  • volumoso — alimentos ricos em fibras e com baixa concentração de energia, como pastagens de alta qualidade (capim), silagem e feno, que contêm as fibras essenciais para o bom funcionamento do sistema digestivo do gado;
  • concentrado — são os alimentos que têm baixo teor de fibra, porém, são proteicos ou energéticos, como a soja, o grão de milho e o farelo de algodão, que promovem o ganho peso;
  • suplementação — usada para fornecer nutrientes para atender às demandas em eventuais deficiências de vitaminas, sais minerais e outras substâncias essenciais para saúde e desempenho dos animais.

Um exemplo de suplementação alimentar é o creep feeding, um complemento à alimentação básica, que melhora o desenvolvimento ruminal, aumentando o ganho de peso dos bezerros na fase do desmame.

4. Conte com acompanhamento especializado

Você sabia que, dependendo da raça e do sexo, a alimentação pode ser completamente diferente? É nesse, entre tantos outros aspectos, como o controle da febre aftosa, que um profissional da área é imprescindível.

Nesse sentido, principalmente para quem está iniciando na pecuária, é fundamental contar com o acompanhamento de um especialista nesse tipo de criação.

Como começar a criação de gado?

Para iniciar a criação de gado é preciso ter atenção a diversos fatores que vão desde a escolha da raça até os cuidados com alimentação e gestão da fazenda. Sem contar a parte administrativa, mas para isso você pode contar com a ajuda de um contador para auxiliar em questões mais técnicas, como CNAE para criação de bovinos etc.

Além disso, há outros passos importantes. A seguir, mostramos o que você precisa saber para investir nessa atividade e ter sucesso em seu negócio!

  • defina a raça que mais atenda às suas necessidades e que seja adequada à região onde a sua propriedade se localiza;
  • faça um planejamento para a gestão da fazenda;
  • realize um gerenciamento financeiro eficiente;
  • considere investir em melhoramento genético do seu rebanho;
  • estude para entender cada uma das fases de criação do bovino (cria, recria e engorda);
  • cuide do manejo nutricional;
  • adote o piquete para gado para rotacionar a pastagem;
  • mantenha as instalações adequadas.

Bem, chegamos ao final do nosso artigo e esperamos que você tenha gostado das informações que trouxemos e que elas possam, de fato, lhe ajudar na criação de bovinos. Para obter êxito no setor pecuarista, saber dos aspectos que comentamos é essencial para um bom rendimento do animal e qualidade do produto fornecido. Então, aproveite esses conhecimentos.

Quer saber mais sobre a criação de gado? Continue em nosso blog e acesse o artigo que explica tudo sobre a contenção de bovinos!

Quer receber nossas novidades e conteúdos?

Cadastre-se e receba por e-mail em primeira mão.

E-mail cadastrado com sucesso
Ops! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, verifique se o captcha está correto.

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.